O conceito da Educação em Saúde e sua interface com os profissionais

    Educação em Saúde para profissionais

    O que é a Educação em Saúde

    A educação é um fenômeno social e universal, sendo considerada uma atividade essencial à existência e ao funcionamento de toda a sociedade, auxiliando os indivíduos no desenvolvimento de suas capacidades e prepará-los para a participação ativa e transformadora na vida pessoal ou profissional.

    Neste contexto, a educação em saúde constitui um elo de saberes e práticas voltadas para a prevenção de doenças e promoção da saúde propiciado pelos profissionais de saúde, atingindo a vida diária das pessoas e da comunidade.

    Estas ações vão além da assistência mecanicista e centralizada, ou seja, constitui-se numa visão de integralidade, interdisciplinariedade e emponderamento, considerando os usuários dos serviços de saúde como sujeitos portadores de saberes e condições de vida, estimulando-os a lutarem por mais qualidade de vida, dignidade e direitos humanos fundamentais.

     

    O papel dos profissionais na Educação em Saúde

    Dentre as inúmeras atribuições dos profissionais da área da saúde estão as ações educativas, que fazem destes agentes de mudanças individuais e coletivas no contexto biopsicossocial de atenção à família. A ação educativa é um dos princípios das ações do enfermeiro e se concretiza nos vários espaços de realização das práticas de enfermagem em geral, a citar hospitais, clínicas, unidades básicas de saúde, entre outros.

    Sendo assim,  a educação em saúde auxilia no fortalecimento da promoção e da resolutividade, permeada pela integralidade do usuário, que vive um contexto familiar e comunitário, com vinculação próspera com o profissional.  Neste contexto, ainda percebe-se fortemente o modelo de educação tradicional, concepção limitada de apenas passar, repassar e orientar a população por meio de palestras, por exemplo, sem a participação ativa da comunidade.

    Entretanto, devemos considerar as experiências das pessoas, dos movimentos sociais e organizações populares, ou seja,  em vez de procurar difundir conceitos e comportamentos considerados corretos e adequados , deve-se procurar problematizar, em uma discussão aberta, o que está incomodando ou aflingindo o sujeito. Alguns exemplos de estratégias que podem ser utilizadas na prática de educação em saúde incluem o desenvolvimento de atividades em grupo, oficinas, momentos formais de interação entre o profissional e o sujeito.

    Referências:

    ALVES, V.S. Um modelo de educação em saúde para o Programa Saúde da Família: pela integralidade da atenção e reorientação do modelo assistencial. Revista Interface

    OLIVEIRA, R, L.; SANTOS, M, E, A. Educação em saúde na estratégia saúde da família: conhecimentos e práticas do enfermeiro. Revista Enfermagem Integrada.

    PASCHOAL, A, MANTOVANI, M. F. MEIER, M. J. Percepção da Educação Permanente, Continuada e em serviço num hospital de ensino. Revista Escola de Enfermagem USP.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.