Práticas de Liderança em Enfermagem

    Enfermagem e liderança de equipe

    Como desenvolver a Liderança em Enfermagem

    A função do Enfermeiro e as práticas de Liderança em Enfermagem dentro do contexto de coordenação e direção, está prevista no que determina a Lei nº 7.498, de 25 de junho de 1986, que dispõe sobre a regulamentação do exercício da Enfermagem no Brasil; em seu artigo 11, cabendo-lhe privativamente: a direção do órgão de enfermagem  dentro da estrutura de uma instituição de saúde e chefia de serviço e de unidade de enfermagem; organização e direção dos serviços de enfermagem dentro dos âmbitos do planejamento, organização, coordenação, entre outros.

    No processo de trabalho da enfermagem, a liderança configura-se um instrumento gerencial indispensável e essencial, pois permeia a rede das relações humanas do profissional ao coordenar uma equipe de trabalho, além de contribuir na tomada de decisões e no enfrentamento de conflitos, comuns no cotidiano de uma instituição de saúde.

    A liderança tem sido necessária em todas as atividades do enfermeiro, a fim de garantir um trabalho otimizado, principalmente no que confere ao desempenho de funções gerenciais e administrativas que passam pela interação entre indivíduos e gerenciamento do cuidado, envolvendo muita articulação entre as atividades e a equipe multiprofissional.

     

    Características de um líder em Enfermagem

    Um líder inovador deve pautar suas atividades no crescimento de uma organização/instituição, procurando ajudar, incentivar, encontrar fragilidades e potencialidades, sempre com doses de motivação no trabalho. Estas ações devem estar em consonância ao respeito pelo ser humano, simpatia, lealdade, habilidade, reflexão, autoconhecimento e equilíbrio.

    O enfermeiro deve sempre refletir sobre a sua prática de liderança e analisá-la profundamente com seus fatores que a constituem na interação com o ambiente. Há portanto, uma necessidade do líder em criar ou reconhecer um ambiente favorável, como também entender as expectativas dos liderados.

    Vale ressaltar que nem todos os profissionais de Enfermagem possuem esta ótica abrangente de liderança, confundindo-a muitas vezes com autoritarismo e perseguições, pontos divergentes à boa prática relacional em equipe. Nos estudos sobre liderança, muitos autores esboçam esta prática como destrutiva, devendo ser revertida num processo saudável de liderar.

    Referências:

    COREN SC. Conselho Regional de Enfermagem Santa Catarina. Cadernos de Enfermagem: Consolidação da Legislação e Ética Profissional.

    DEUS, R.L. Liderança em Enfermagem. Disciplina de administração em enfermagem. Universidade Federal de Juiz de Fora.

    KURCGANT, P. et al. Administração em enfermagem.

    PANZENHAGEN, L.M; NEZ, E. Chefia e liderança na gestão pública: algumas reflexões. Revista Gestão em foco.

    TREVIZAN, M.A; et al. Aspectos éticos na ação gerencial do enfermeiro. Revista Latino Americana de Enfermagem.

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *