Indicadores de saúde

    Indicadores de saúde

    Indicadores hospitalares

    Os indicadores de saúde representam uma importante ferramenta de gestão, pois fornecem dados e informações relevantes para o processo de planejamento e tomada de decisão, além de auxiliarem na busca pela qualidade e produtividade do serviço de saúde. Na construção de um indicador podemos classificá-los e utilizá-los nos níveis operacionais, gerenciais e estratégicos. Neste artigo, falaremos de alguns dos principais indicadores de saúde no âmbito hospitalar, além de dados importantes para a gestão.

    Indicadores hospitalares gerais

    1. Taxa de ocupação: a taxa de ocupação gerencial geral avalia o grau de utilização dos leitos, medindo o perfil de utilização e a gestão do leito operacional do hospital. Uma taxa de ocupação abaixo de 75%, por exemplo, indica baixa utilização e ineficiência na gestão de leitos; enquanto uma taxa acima de 85% pode indicar um aumento de eventos adversos relacionados ao paciente.
    2. Taxa de mortalidade institucional: relação entre o número de óbitos em pacientes após 24 horas de internação e o número de pacientes que tiveram saída do hospital, em um determinado tempo.
    3. Média de permanência geral: avalia o tempo que em média um paciente permanece internado no hospital, estando relacionado a boas práticas clínicas. Vale lembrar que quanto maior a permanência do paciente, maior o risco de adquirir infecções relacionadas à assistência à saúde.

    Indicadores de qualidade hospitalar

    Podemos classificar os indicadores de qualidade hospitalar em domínios: de efetividade, de eficiência e de segurança. Segue abaixo os exemplos destes indicadores:

    1. Efetividade: taxa de partos vaginais, taxa de readmissão hospitalar não planejada, taxa de parada cardiorespiratória em unidade de internação, taxa de mortalidade institucional, taxa de infecção de corrente sanguínea associada a cateter venoso central, taxa de infecção de sítio cirúrgico, taxa de infecção de trato urinário relacionada a cateter vesical de demora.
    2. Eficiência: tempo médio de internação, média de permanência na emergência, tempo de espera na emergência até o primeiro atendimento, taxa de antibiótico profilático dentro de 1 hora.
    3. Segurança: taxa de queda com dano, evento sentinela, taxa de profilaxia para TEV.

    Fonte: Agência Nacional de Saúde Suplementar.

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *