Fundamentos para o Serviço de Supervisão de Enfermagem

Supervisão em enfermagem

O que é a Supervisão de Enfermagem

A supervisão de enfermagem é a atividade de orientação, com foco no desenvolvimento técnico e humano das pessoas, cabendo ao enfermeiro o desenvolvimento de seus supervisionados.

A base da supervisão passa pelo planejamento, a execução e a avaliação do trabalhado, pensando sempre na sua melhoria e crescimento da equipe, observando pontos positivos e negativos do serviço. Este processo deve ser incorporado em qualquer ambiente de trabalho, pois somos seres passíveis a erros e tendenciosos à inércia, porém com possibilidade real de modificação.

Esta atividade está respaldada pelo Decreto de Lei 94.406/87 que regulamenta a Lei 7.498/86 do Exercício Profissional da Enfermagem, citando no artigo 13º do Decreto que as atividades nos artigos 10º e 11º, relacionadas ao técnico de enfermagem e auxiliar de enfermagem somente poderão ser desenvolvidas sob supervisão do enfermeiro. Já a Resolução COFEN Nº 311/2007 reforça em seu artigo 69º como capacidades do enfermeiro de “Estimular, promover e criar condições para o aperfeiçoamento técnico, científico e cultural dos profissionais de Enfermagem sob sua orientação e supervisão”.

 

Como desenvolver a Supervisão de Enfermagem

O enfermeiro supervisor deve incorporar-se como um elemento pertencente ao grupo e não superior a este, tendo em vista os interesses coletivos, de forma a possibilitar uma melhoria da assistência prestada. É importante ressaltar que as atividades que envolvem a atuação de um supervisor, requer que estes desenvolvam certas competências, como: conhecimentos, habilidades e atitudes, que permitam um direcionamento correto da atividade de supervisão.

O conhecimento gerencial de indicadores do setor e da instituição hospitalar, o perfil dos colaboradores e dos pacientes atendidos, os manuais, normas e rotinas existentes são essenciais para guiar uma boa supervisão.

 

Liderança na Enfermagem

Vale lembrar que nos serviços hospitalares, o enfermeiro também é responsável pela gerência de unidades, atividade ampla que inclui a previsão, provisão, manutenção, controle de recursos materiais e humanos e a gestão do cuidado que engloba o diagnóstico, planejamento, execução e avaliação da assistência, delegação das atividades, supervisão e orientação das equipes .

Vale destacar que deve haver uma reflexão e ações frente aos achados, não limitando a supervisão apenas em números, viabilizando assim uma interação entre os profissionais, permeada por uma boa comunicação e feedbacks. Assim, reitero que a atividade de supervisão é necessária, mas requer análise das situações e informações verificadas, reforçando o intuito de aprimorar a assistência.

 

Desafios gerenciais na Enfermagem atual

A atuação do enfermeiro na área hospitalar ou na atenção básica pode sofrer influências de problemáticas como falta de recursos humanos, materiais e financeiros. O absenteísmo e turnover entre os profissionais também é uma realidade. Desmotivações, choque de culturas e padrões educacionais diferentes também interagem neste complexo mundo da interação entre profissionais de saúde, instituições e pacientes. Diante deste cenário, o supervisor deve conhecer bem seu entorno, compreender e auxiliar seus supervisionados para atingir as potencialidades e minimizar as fragilidades existentes no serviço.

Referências:

COREN SC. Conselho Regional de Enfermagem Santa Catarina. Cadernos de Enfermagem: Consolidação da Legislação e Ética Profissional.

CORREIA, V.S; SERVO, M.L.S. Supervisão da Enfermeira em Unidades Básicas de Saúde. Revista Brasileira de Enfermagem.

CARVALHO, J.F.S; CHAVES, L.D.P. Supervisão de enfermagem no contexto hospitalar: uma revisão integrativa. Revista Eletrônica de Enfermagem.

KURCGANT, P. et al. Administração em enfermagem.

2 comentários em “Fundamentos para o Serviço de Supervisão de Enfermagem”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *